quarta-feira, 7 dezembro / 2022
HomeCasa Verde e AmarelaComo funciona o financiamento pelo programa Minha Casa Minha Vida

Como funciona o financiamento pelo programa Minha Casa Minha Vida

Por meio de subsídios o Governo Federal consegue manter o programa Minha Casa Minha Vida. A finalidade deste programa é facilitar a aquisição da casa própria de pessoas de baixa renda. Sendo assim, é preciso destacar que não existe nenhum banco do governo (Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal), que realize o financiamento de 100% do valor total do imóvel que o indivíduo pretende adquirir.

PUBLICIDADE

Nos dias atuais, o valor máximo financiado pelo programa é de 90% do valor total do imóvel, e os outros 10% são de responsabilidade da pessoa interessada em realizar o financiamento. Como o governo oferece um subsídio para o tomador do financiamento, muitas pessoas já questionaram se por acaso seria possível usar tal subsídio como uma espécie de “entrada” nessa modalidade de financiamento e a resposta a esse questionamento é não!

Na realidade o subsídio é usado para diminuir o valor total do financiamento. Dessa forma as prestações pagas pelo tomador do financiamento ficam mais baixas. Sendo assim, a entrada é de responsabilidade integral do comprador.

Entretanto, é sempre muito bom fazer uma pesquisa de mercado na hora de tomar a decisão de adquirir um imóvel, pois em alguns empreendimentos a entrada é gratuita. Dessa forma é sempre bom consultar um corretor imobiliário.

Aqueles que se encaixam em um perfil de “baixa renda”, se beneficiam com um valor menor da prestação e menor taxa de juros. Só usufruem destes benefícios aqueles que preenchem todos os requisitos do programa.

Requisitos do programa Minha Casa Minha Vida

Existem regras específicas na hora de classificar o interessado com o intuito de saber se ele atende a todas as regras gerais e específicas do programa, como por exemplo a faixa de renda do cliente. Outro fator importante é que o financiamento contratado precisa respeitar que as parcelas não sejam superiores a 30% da renda bruta familiar mensal.

Além disso, para se beneficiar desse subsídio a renda bruta familiar precisa ser inferior a R$ 9.000,00 e o valor do imóvel precisa estar até o limite do teto máximo estabelecido para cada região do Brasil.

As regras específicas estão relacionadas diretamente com a média de renda do comprador, valores relacionados às parcelas, tempo de finalização das prestações, juros e os subsídios oferecidos pelo governo.

Quando o imóvel é comprado na planta o programa concede uma carência de 24 meses para o comprador iniciar o pagamento da prestação. Além disso, oferece a menor taxa de juros quando se comparada as taxas praticadas pelo mercado. Normalmente tais taxas variam de 5% a 9% ao ano. Além disso existe um seguro em caso de problemas de saúde ou de desemprego não voluntário.

Programa Minha Casa Minha Vida e faixas de renda

Aqueles que desejam aderir ao programa na hora do financiamento precisa somar a renda bruta mensal da família para saber em qual faixa do programa se encaixa.

Primeira faixa – renda familiar de até R$ 1.800

Aqueles que pertencem a esta faixa podem conseguir subsídios de até 90% para adquirir o primeiro imóvel. Nesse caso as prestações podem durar no máximo 120 meses e as parcelas irão variar de R$ 80 a R$ 270.

Faixa 1,5 – renda bruta familiar de até R$ 2.600

Aqueles que se encontram nesta faixa podem conseguir um subsídio no valor máximo de R$ 47,5 mil e o financiamento pode ocorrer em até 360 prestações. Na categoria em questão os juros praticados são de até 5% ao ano.

Segunda faixa – renda bruta familiar de até R$ 4 mil

Aos que pertencem a esta faixa de renda os subsídio para adquirir a primeira casa própria é de no máximo R$ 29 mil. As taxas de juros praticadas podem variar de 55¨a7% ao ano. Além disso o financiamento pode ser pago em até 30 anos.

Terceira faixa – renda bruta familiar de até R$ 9 mil

Embora aqueles que estejam nesta faixa não recebam subsídios do governo, eles podem se beneficiar com as baixas taxas de juros praticadas nesta modalidade de financiamento. Sendo assim, aqueles que tem renda bruta familiar de até R$ 7 mil conseguem uma taxa anual de juros em torno de 8,1%. Já aqueles que tem renda familiar de até R$ 9 mil podem se beneficiar de uma taxa de juros anual de até 9,16%. Outra vantagem é o prazo de quitação que pode ser de até 30 anos.

Informações importantes sobre o programa Minha Casa Minha Vida

Muitas pessoas acreditam que qualquer imóvel pode ser financiado, mas isso não é verdade. Para que o imóvel seja financiado existe uma análise da documentação e se houver irregularidades ou falta de registros o financiamento pode não ser aprovado.

Além disso um engenheiro faz uma análise no que compreende a parte estrutural do imóvel com a finalidade de garantir ao comprador de que a casa está realmente em boas condições e pode ser habitada pelo tomador do financiamento.

Desconfiem quando dizem que a aprovação é rápida e sem burocracia, pois na verdade, não é. É muito difícil que um financiamento seja aprovado em menos de 30 dias. Isso pelo fato de que a documentação precisa passar por uma análise afim de comprovar que o cliente pode ser beneficiado pelo programa ou não.

RELACIONADOS

Popular